quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

SELVAS DA VIDA


Não se acha um amor na balada,
nem numa mesa de bar,
tudo é ilusão pura falsidade,
não passa de armadilhas da paixão.

Amores assim são furadas,
são delírios da solidão,
abismos criados pela saudade,
de um tempo vivido com amor.

Na cascata vejo o brilho das estrelas,
no meu caminho vejo o brilho do luar,
me guiando por selvas da vida.

Procurar um amor não é brincadeira,
você pode se perder na angustia,
ou simplesmente morrer na solidão.