sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Ludmila

La no sertão foi que conheci o amor,
menina de nome Ludmila,
fez meu coração desabrochar como flor.
mulher de encantos e de singela alegria.

Sempre encontrava com ela la no açude,
buscando água pra aliviar a seca tão rude,
meus olhos fitavam ela como o sol iluminava o sertão,
meu sentimento só aumentava vendo ela cantarolando um linda canção.

Ludmila conquistou meus sentimentos,
com seu lindo sorriso ela não saía dos meus pensamentos,
até que um dia numa festa são Cosme e Damião,
eu do seu beijo provei e senti ali explodir uma linda paixão.

Casamos na igrejinha da cidade,
ali no altar com minha amada vi realizar uma parte da minha felicidade,
eu não tinha ouro nem jóias e nem tão pouco dinheiro,
mas jurei ali dar meu amor pra ela inteiro.

Numa noite de lua e de intrusas estrelas,
amei minha amada donzela,
senti no corpo o seu calor de sol intenso,
me derreteu todo com seu amor imenso.

Numa tarde de Dezembro,
minha outra parte da felicidade acontecia,
Ludmila dava luz a minha nova alegria
nascia minha princesa que eu tanto queria.

Aqui deixo um tiquinho da minha história,
da filha e minha amada Ludmila.