segunda-feira, 8 de abril de 2013

Marcas de uma paixão


Do que adianta viver de lembranças,
se tudo o que eu mais queria já não tenho,
se perdeu... morreu,
Do que adianta ainda ter esperanças?

Viajo nas recordações,
me embriago nas paixões,
mas nada adianta é apenas vazio,
porque a realidade é uma... estou sozinho.

Você é uma cicatriz na pele,
marcada na minha alma,
que sempre me faz recordar,
do tempo que tudo pra mim se resumia em te amar.