terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Nossas guerras


Quando eu escutei que você não me queria mais,
e que tinha perdido tempo tentando me amar,
o meu mundo começou a cair lentamente,
não era bem o que eu esperava ouvir de você.

Dias depois do meu mundo ter caído,
você aparece tão natural pedindo perdão,
dizendo que estava de cabeça quente,
e que era pra mim relevar, não ficar indiferente.

Com a voz doce, você chegou de mansinho,
tentando contornar a situação que tinha criado,
jurou que era vitima das neuroses do amor.

Mas a vida é uma surpresa,
quem está por por baixo pode estar por cima,
e quem pisou agora pode ser pisado!

Se eu te dei amor, merecia ter ganhado amor!
Se eu te dei carinho não merecia suas ignorâncias.

Talvez você deixe de ser menina,
por ter causado sofrimentos quando eu te amava.

Talvez se torne uma mulher amarga,
por eu não ter aceitado suas justificativas!

Se tudo fosse diferente,
talvez o amor poderia ter resistido as nossas guerras!