terça-feira, 7 de abril de 2015

Poeta solitário


Quem criou a saudade não entendia de dor,
meu coração sofre por amar quem está distante,
deseja todas as noites aquele abraço, aquele calor,
mas a verdade é só o desejo de quem está longe!

A saudade machuca com lembranças,
a solidão tortura deixando as dúvidas,
o que pensar, o que fazer, o que esperar?
Quero você! Quero agora! Quero aqui, comigo!

Apenas o vento calmo me faz companhia,
e o reflexo das águas que enxergam as minhas lágrimas,
lágrimas que borram a poesia do poeta solitário!